Enter your keyword

Image Map

Billboard: Jolin Tsai fala sobre sua representação LGBTQ+ em sua música.


As divas pop em toda a história frequentemente foram aliados proeminentes da comunidade LGBTQ+, e agora é hora de adicionar Jolin Tsai à lista.

Uma deusa reinante do C-Pop, ou música popular chinesa, Tsai representou casais do mesmo sexo e diversos estilos de vida LGBTQ + através de seus icônicos lançamentos, fornecendo uma saída para uma representação em geral na indústria de música conservadora chinesa. Através de músicas provocativas e vídeos musicais que promovem o amor próprio e compreendem as diferenças uns dos outros, Tsai é um dos ícones mais visíveis para as pessoas LGBTQ + na Ásia. (Ela não está sozinha: outras estrelas do C-Pop, como A-Mei, também usaram sua música como uma plataforma para promover direitos LGBTQ+.)

As imagens relacionadas a comunidade LGBTQ+ e as pessoas estão frequentemente presentes nas obras de Tsai -os papéis de gênero foram questionados no vídeo para "Dr. Jolin", enquanto "Fantasy" representava um jardim de Eden extravagante e com arco-íris transbordante de amor- e músicas como "We’re All Different, Yet The Same" ("Duas mulheres se amam mutuamente / é notável e ainda comum") provocaram controvérsia por retratar as realidades dos casais do mesmo sexo com dificuldades sem direitos iguais.

Ao longo dos anos, Tsai foi reconhecida por seu trabalho como celebridade-aliada, então, para o Pride Month Billboard, falei com ela por e-mail sobre a ênfase de sua carreira no amor e aceitação para todos.

Como é que se considera ser um dos ícones gay mais populares de Taiwan e da Ásia?

Estou muito feliz por poder expressar coisas que eu me importo com a música. Não pretendo me tornar um ídolo para qualquer grupo específico de pessoas. Tudo o que eu quero fazer é encorajar algumas pessoas, dizendo coisas que eu acho corretas, para que eles saibam que não estão sozinhos. Esperemos que isso lhes dê alguma energia positiva e ajude-os a influenciar outras pessoas na sociedade para se tornarem mais empáticos. Claro, sinto-me muito honrada por ter tido algum impacto nesse aspecto.



Você tem sido muito aberta sobre aceitar o amor do mesmo sexo ao longo de sua carreira e lançou vários clipes e músicas que mostram casais e iconografia LGBT+. O que trouxe isso?


Eu tenho muitos amigos e fãs LGBTQ+, e muitos desses clipes e músicas foram feitas para compartilhar suas histórias da vida real e emoções reais. Eu me vejo como uma plataforma, através da qual essas histórias podem ser contadas como músicas, para que as pessoas possam aprender a tratar relacionamentos ou viverem de maneira diferente da sua própria maneira com uma atitude calma. Todo mundo tem seus altos e baixos, lágrimas e risos, independentemente do sexo e orientação sexual. Por exemplo, a história de "We're All Different, Yet the Same" é uma história real que ouvi do diretor Leste Chen. Fiquei muito emocionada e triste quando ouvi. Eu realmente espero que meus amigos nunca mais tenham que lidar com a mesma situação, então eu converti isso em uma música e um clipe, esperando que isso faça com que as pessoas enfrentem essa triste realidade. Também espero que um dia essas histórias dolorosas possam ser interrompidas novamente.

Como você apresenta suas ideias para suas músicas e clipes de reflexão LGBT+?

Tenho muitos amigos gays brilhantes. Admiro sua atitude alegre e positiva, como eles estão desatados da consciência do corpo, como eles enfrentam as diferenças entre eles e os outros, e como eles continuam a se expressar alto e livre. Eu os invejo muito. Isso também me faz querer libertar pessoas de emoções reprimidas com músicas otimistas.

O que você acha do estado de sentimentos em Taiwan, e em toda a Ásia, em relação a questões LGBT+?

Estou otimista sobre isso. Penso que, com a ajuda da mídia por meios de comunicação globalizados e mídias sociais, haverá mais e mais pessoas prestando atenção e respeitando a igualdade de direitos de grupos minoritários, como a igualdade de casamento, a igualdade de gênero e a igualdade de direitos para a comunidade LGBTQ+. Espero que o mundo continue a avançar na direção da justiça.

 Você não apenas promoveu os estilos de vida LGBTQ+ através da sua música, mas também se tornou uma importante defensora, apesar das normas conservadoras gerais da indústria de música chinesa. Taiwan acabou de se tornar o primeiro lugar na Ásia a permitir o casamento homossexual em maio, anos depois de você ter promovido a legalização. Como isso fez você se sentir?

No momento em que a decisão foi anunciada, fiquei muito feliz e orgulhosa. É difícil de acreditar, mas nós o fizemos. Mas, para ser sincera, a contribuição que fiz foi muito pequena. Existem muitas organizações e grupos de pessoas que trabalharam arduamente para a igualdade matrimonial há décadas. Estou muito emocionada de que seus esforços finalmente foram pagos. Espero que este poder e força possam ser espalhados para fazer com que mais pessoas vejam o mundo com amor.

Além da sua música, de que outra maneira você é uma aliada para a comunidade LGBTQ+?

Eu sou simplesmente sua amiga na vida. Todos eles são meus amigos muito importantes. Quando eles têm algo a dizer, eu apenas escuto e os apoios com tudo em suas vidas. Eles também são parte da minha vida. Eu também preciso deles.

"We're All Different, Yet the Same" enfrentou críticas intensas, e foi banido em Cingapura, pelo seu beijo com Ruby Lin. Essa controvérsia teve algum efeito sobre você?

Eu respeito que diferentes culturas têm diferentes modos de pensar, mas não me deixará limitar-me quando se trata de liberdade criativa. Continuarei a expressar minhas opiniões com orgulho.



Muitas cantoras, como Madonna, Cher, Lady Gaga, etc., tornaram-se ícones e defensores LGBTQ+. Como você acha que se encaixa nessa narrativa?

Há uma grande quantidade de pessoas no mundo que estão falando para as pessoas da comunidade. Estou apenas seguindo meu coração e faço o que eu realmente quero fazer. Todas são pessoas muito importantes na minha vida, então estou muito feliz por poder fazer algo por elas. Não estou fazendo isso por causa de uma celebridade. Dito isto, estou muito grata que existam tantas pessoas que estão dispostas a ajudar a criar um mundo livre de injustiça e discriminação.

Você foi uma aliada do público por muitos anos. Agora que o casamento do mesmo sexo é legal em Taiwan, o que vem depois?

Embora a igualdade matrimonial já seja alcançada, a discriminação ainda existe na mente de muitas pessoas. Espero que possamos trabalhar juntos para divulgar a ideia certa de direitos iguais através da educação. É como se mulheres e negros estivessem entre os grupos discriminados, e esse tipo de desigualdade é causada por mal-entendidos e preconceitos. Podemos espalhar os valores certos e fazer as pessoas aprenderem a respeitar outras pessoas que são diferentes de si mesmas. Também encorajará as pessoas que compartilham uma orientação sexual diferente e identidade de gênero da maioria para não serem tímidas, expressar seus próprios corpos e ter a coragem de ser o verdadeiro eu.

E, quanto a você, qual o próximo passo?

O meu próximo passo é concentrar-me na produção do meu novo álbum. Quero falar mais sobre mulheres. Por ter explorado alguns fenômenos sociais e mentais relacionados às mulheres nos últimos anos, agora tenho muito a dizer às garotas. E também quero dizer algo em nome das mulheres. Portanto, essa é a direção em que meu novo álbum está indo.

Fonte: Billboard
Tradução e Adaptação: Jolin Tsai Brasil
Não remover sem os devidos créditos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Afiliados

Pesquise

Clique no circulo abaixo para pesquisar